O Projeto

Sila sai de casa ainda garoto para vender tapioca e amendoim nas ruas de Belém. Conhece Elvira, uma prostituta dez anos mais velha que o apresenta ao mundo das drogas e do crime. Em pouco tempo, torna-se o maior batedor de carteiras de sua cidade, uma das figuras mais conhecidas da região.

Para ampliar os negócios, decide deixar sua cidade natal. Parte para Brasília e, em seguida, para São Paulo. Nas duas cidades, trabalha duro, aprimora suas técnicas, enriquece fácil, ganha notoriedade, envolve-se com quase todas as mulheres que deseja até levar uma rasteira inesperada: é preso e acaba no Carandiru.

Às vésperas de completar 30 anos, com cinco filhos e três ex-mulheres para sustentar,Sila decide recomeçar. Deixa São Paulo e volta para Belém, onde vai ganhar a vida como peixeiro. Contrariando todas as expectativas, junta dinheiro para comprar um carro e começa a trabalhar como taxista. Hábil e dotado de uma inteligência e força de trabalho fora do comum, percebe que pode garantir seu futuro investindo em uma cooperativa de taxi. De carro em carro, torna-se dono de uma das maiores frotas de taxis de Belém.